quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Do meu deserto...


Às vezes, me vejo correndo em um imenso deserto. Corro, porém não sinto calor.

Carrego comigo uma faixa azul, que esvoaça ao vento, seguindo meus passos determinados.

Corro nesse deserto como se ele não tivesse fim. Como se ele fosse do tamanho da necessidade que tenho, de compreender...

Compreender o mundo, a vida.

Compreender os desdobre do amor e da dor, da chegada e da partida, do carinho e da carência...

Meus passos ficam marcados nesta areia sem fim e o sol, que não me queima, ilumina e projeta minha sombra no chão.

Eu sei que é uma corrida de certa forma inútil, pois muito da vida não é compreensível aos nossos olhos pequenos...

Porém não consigo deixar de correr e buscar. Preciso estar em movimento para não pensar...


Andréa W. Petry

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Meus sonhos...



"Vou lançar meus sonhos ao vento assim, 
como se fossem sementes. 
Quem sabe sementes de um novo amanhã..."

Andréa W. Petry

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Te amei...

Sabe, eu me enganei...
Sempre achei que deveria pegar a tua mão, e te levar a conhecer os lugares bonitos que eu conhecia...
Achei que fosses gostar deles, e das situações que eles trariam.
Sim, eu me enganei...
Nem tudo de que eu gostava você gostava, e nem tudo de que eu precisava você sentia falta...
Eu achei que fazia algo bom, mas não, nem sempre era bom para você.
Pena que você não me disse.
Talvez por medo de me perder, talvez por não saber...
Não sei...
Só sei que teria sido mais fácil, se tivéssemos conversado.
Sem medos, sem dores.
Somente sentar e conversar.
Pois muitas vezes são dos nossos medos é que nascem as nossas dores...
Te amei do jeito que, naquele tempo, eu soube amar...